sexta-feira, 25 de maio de 2018

Osho Zen Tarot - 39. Arcano Menor ― Possibilidades (Dois de Fogo)


A mente pode aceitar fronteiras em qualquer lugar. 
A verdade, porém, é que, por sua própria natureza, a existência não pode aceitar fronteiras de espécie alguma, pois o que haverá do outro lado do muro? 
Céu e novamente um outro céu. 
Por isso é que estou dizendo que céus sobre céus estão disponíveis para o seu voo.
Não se contente facilmente. 
Os que se contentam com pouco permanecem pequenos: pequenas são as suas alegrias, pequenos são os seus êxtases, pequenos são os seus silêncios, pequeno é o seu ser.
Mas não há necessidade disso!
Essa pequenez é uma imposição que você mesmo faz à sua liberdade, às suas possibilidades ilimitadas, ao seu potencial sem limites.
Osho Live Zen, Cap. 2

Comentário:
A águia tem uma visão panorâmica de todas as possibilidades existentes na paisagem lá embaixo, enquanto voa livremente pelo céu, com naturalidade e sem qualquer esforço. 
Ela está realmente no seu domínio, majestosa e senhora de si.
Esta carta indica que você se encontra num ponto em que um mundo de possibilidades lhe é oferecido. 
Por ter desenvolvido mais amor para consigo mesmo, por estar mais pleno de si mesmo, você consegue trabalhar facilmente com os outros. 
Por estar relaxado e à vontade, você é capaz de reconhecer possibilidades à medida que elas se apresentam, algumas vezes até antes que outros as consigam perceber. 
Por estar em sintonia com a sua própria natureza, você compreende que a existência lhe está proporcionando exatamente aquilo de que você precisa. 
Aproveite o voo! 
E celebre todas as variadas maravilhas da paisagem aberta diante de seus olhos.



Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra, exceto os naipes.
Imagens - askthecards.info

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Osho Zen Tarot - 38. Arcano Menor ― Aventura (Valete do Arco-íris)


O Zen diz que a verdade não tem nada a ver com autoridade, que a verdade não tem nada a ver com tradição; que a verdade não tem nada a ver com o passado: a verdade é uma realização radical, pessoal. 
Você precisa conquistá-la. 
O conhecimento oficial é coisa segura; a busca do conhecimento pessoal, porém, é muito, muito arriscada. 
Ninguém pode garantir o resultado. 
Se você me perguntar se posso garantir alguma coisa, direi que não posso garantir-lhe nada. 
Só posso garantir o perigo - isso é certo. 
Só posso garantir-lhe uma longa aventura, com todas as possibilidades de dar errado e de nunca se atingir a meta. 
Uma coisa, porém, é certa: a própria busca irá ajudá-lo a crescer.
Só posso garantir-lhe o crescimento. 
O perigo estará lá, o sacrifício estará lá; você estará mergulhando a cada dia no desconhecido, em terreno inexplorado, e não haverá nenhum mapa a seguir, nenhum guia para acompanhar. 
Sim, há milhões de riscos e você poderá desviar-se, poderá perder-se, mas é esta a única maneira de crescer. 
A insegurança é a única senda para o crescimento, enfrentar o perigo é a única forma de crescer, aceitar o desafio do desconhecido é o único caminho para se crescer.
Osho Dang Dang Doko Dang, Cap. 7

Comentário:
Quando estamos realmente com espírito de aventura, andamos exatamente como esta criança. 
Cheios de confiança, vamos, passo a passo, saindo da escuridão da floresta para o clarão da luz, levados pela nossa capacidade de nos maravilharmos, na trilha do desconhecido.
A ideia de aventura realmente não tem nada a ver com planos e mapas, programações e organização. 
O Valete do Arco-Íris representa um estado de espírito que pode tomar conta de nós em qualquer lugar ― em casa ou no escritório, no campo ou na cidade, num empreendimento criativo ou no nosso relacionamento com outras pessoas. 
Sempre que nos lançamos ao novo e desconhecido com o espírito confiante de uma criança, inocentes, abertos e vulneráveis, até mesmo as menores coisas da vida podem transformar-se nas maiores aventuras.





Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra, exceto os naipes.
Imagens - askthecards.info

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Osho Zen Tarot - 37. Arcano Menor ― Desaceleração (Cavaleiro do Arco-íris)


A meditação é uma espécie de remédio ― seu uso será apenas passageiro. 
Quando você tiver apreendido a qualidade, não precisará praticar mais nenhuma meditação em particular, pois a atitude meditativa é que deverá permear todos os cantos da sua vida.
Andar é Zen, sentar-se é Zen. 
Qual será então essa qualidade? 
A pessoa passa a andar de maneira vigilante, alerta, alegremente, sem metas a atingir, centrada, com amor, deixando-se fluir. 
E o caminhar é despreocupado. 
A pessoa senta-se com amor, alerta, vigilante, desinteressadamente ― sem estar buscando alguma coisa em especial, mas apenas desfrutando a beleza do sentar-se sem fazer nada, o quanto isso é relaxante, repousante...
Depois de uma longa caminhada, você se senta à sombra de uma árvore, e a brisa vem e o refresca. 
A cada momento é preciso que a pessoa esteja bem consigo mesma ― não empenhada em melhorar, cultivando alguma coisa, praticando alguma coisa. 
Andar é Zen, sentar-se é Zen. 
Falando ou em silêncio, movimentando-se, em repouso, a essência está à vontade. 
A essência está à vontade: esta é a ideia chave. 
A essência está à vontade: esta é a afirmação-chave. 
Faça o que quiser, mas, no âmago mais profundo, permaneça à vontade, frio, calmo, centrado. 
Osho The Sun Rises in the Evening, Cap. 7

Comentário:
O Cavaleiro do Arco-Íris é um lembrete de que, exatamente como a tartaruga desta carta, nós também levamos conosco a nossa casa, aonde quer que vamos. 
Não há necessidade de apressar-se, não é preciso procurar abrigo em nenhum outro lugar. Mesmo quando mergulhamos nas profundezas das águas da emoção, podemos manter-nos abrigados em nós mesmos, imunes a dependências.
Há um momento em que você se prepara para deixar de lado quaisquer expectativas que tem cultivado a seu próprio respeito, ou a respeito de outras pessoas; prepara-se para assumir a responsabilidade por quaisquer ilusões que possa ter estado carregando. 
Nessa hora, não há necessidade de fazer nada, bastando repousar na plenitude de quem você é neste exato momento. 
Se os desejos, esperanças e sonhos estão se tornando vagos, tanto melhor. 
Seu desaparecimento está abrindo espaço para um novo clima de tranquilidade e de aceitação das coisas como são. 
Você irá sentir-se capaz de dar as boasvindas a esse crescimento pessoal, de uma maneira que nunca esteve antes ao seu alcance. 
Desfrute essa sensação de diminuição do ritmo, de se aproximar do repouso, e de reconhecer que você já está em casa.




Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra, exceto os naipes.
Imagens - askthecards.info

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Osho Zen Tarot - 36. Arcano Menor ― Florescimento (Rainha do Arco-íris)



O Zen quer vê-lo vivendo, vivendo em abundância, vivendo na completude, vivendo intensamente ― não em grau mínimo, como pretende a Cristandade, mas no grau máximo, transbordante.
A sua vida deveria derramar-se até os outros. 
A sua felicidade, a sua bem-aventurança, o seu êxtase, não deveriam ficar confinados dentro de você, como uma semente. 
Deveriam abrir-se como a flor e espalhar sua fragrância indiscriminadamente ― não apenas para os amigos, mas para os desconhecidos também. 
Isso é compaixão verdadeira, amor verdadeiro: compartilhar a sua iluminação, compartilhar a sua dança do além.
Osho Christianity, the Deadliest Poison and Zen…, Cap. 5

Comentário:
A Rainha do Arco-Íris é como uma planta fantástica que atingiu o ápice do seu florescimento e das suas cores. 
É muito sensual, muito cheia de vida e plena de possibilidades. 
Estalando os dedos ela acompanha a música do amor, e o seu colar do zodíaco está colocado de tal maneira que Vênus repousa sobre o seu coração. 
As mangas da sua vestimenta contêm sementes em abundância, e, à medida que sopra o vento, elas são espalhadas para criar raízes onde lhes for possível. 
Não a preocupa saber se as sementes caem no solo ou sobre as pedras ― ela apenas as vai espalhando por toda parte, em total celebração da vida e do amor. 
Flores caem do alto sobre a sua cabeça, em harmonia com o seu próprio florescimento, e as águas da emoção serpenteiam divertidamente sob a flor em que ela está sentada.
Você poderia sentir-se neste exato momento como um jardim de flores, regado por bênçãos vindas de toda parte. 
Dê boas-vindas às abelhas, convide os pássaros a beber do seu néctar. 
Espalhe em volta a sua alegria, para que todos compartilhem dela.


Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra, exceto os naipes.
Imagens - askthecards.info
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Selos