Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2018

Osho Zen Tarot - 61. Arcano Menor ― Adiamento (Quatro de Nuvens)

Adiar é simplesmente estupidez.  Amanhã também será necessário decidir; então, por que não resolver hoje mesmo?  Você acha que amanhã estará mais sábio do que hoje?  Você acha que amanhã vai estar com um vigor maior do que o de hoje?  Você acha que amanhã estará mais jovem, renovado em relação à hoje? Amanhã você vai estar mais velho, a sua coragem será menor; amanhã você vai estar mais experiente, e a sua capacidade de dissimulação será maior; amanhã a morte chegará mais próximo ― você começará a titubear e a sentir mais medo.  Nunca deixe para amanhã.  Quem sabe?  O amanhã pode chegar ou pode não chegar.  Se é preciso decidir, decida agora mesmo. O dentista Dr. Vogel tinha concluído o exame de uma bela e jovem cliente. “Srta. Baseman”, ele disse, “acho que terei de arrancar os seus dentes do siso!”, “Minha nossa!”, exclamou a mocinha, “seria preferível parir um bebê!”, “Bem”, disse o Dr. Vogel, “quer decidir logo para que eu possa acertar a posição da cadeira?

Osho Zen Tarot - 60. Arcano Menor ― Isolamento Glacial (Três de Nuvens)

Somos infelizes porque ficamos excessivamente encerrados em nós mesmos.  O que quero dizer quando falo que nós ficamos excessivamente encerrados em nós mesmos?  E o que acontece exatamente, quando ficamos excessivamente encerrados em nós mesmos?  Ou você vive a vida, ou fica encerrado em si mesmo ― as duas coisas ao mesmo tempo, são impossíveis.  Estar em si mesmo significa estar à parte, estar separado.  Estar em si mesmo significa tornar-se uma ilha.  Estar em si mesmo significa traçar uma linha divisória à sua volta. Significa estabelecer uma distinção entre “isto eu sou” e “isto eu não sou”.  Essa definição, essa fronteira entre “eu” e “eu não” circunscreve o território do “si mesmo” (self) ― o si mesmo isola.  E ele o torna congelado: você deixa de fluir.  Quando alguém está fluindo, o si mesmo não pode existir. Com esse jeito de ser, as pessoas quase se transformaram em cubos de gelo. Já não têm calor nenhum, não sentem nenhum amor ― têm medo do amor, porque a

Osho Zen Tarot - 59. Arcano Menor ― Esquizofrenia (Dois de Nuvens)

O homem é dividido. A esquizofrenia é uma condição  normal do homem ― ao menos no momento atual.  Pode  não ter sido assim no mundo primitivo, porém séculos  de condicionamento, civilização, cultura e religião  transformaram o homem numa multidão ― dividida,  separada, contraditória...  Contudo, pelo fato de essa  divisão ser contrária à sua natureza, lá no fundo,  escondida em alguma parte, à unidade ainda sobrevive. Porque a alma do homem é unitária, todos os  condicionamentos, no máximo, só destroem a periferia  do homem.  O centro permanece intocado ― por isso é  que o homem continua a viver.  Mas sua vida tornou-se  um inferno. Todo o trabalho do Zen é voltado para o como desfazer-se dessa  esquizofrenia, como desvencilhar-se dessa personalidade cindida, como  descartar a mente dividida do homem, como tornar-se não-dividido,  integrado, centrado, cristalizado. Do jeito como você está, não se pode dizer que você é. Você não tem um ser ― é uma praça de mercado: muitas voze

Osho Zen Tarot - 58. Arcano Menor ― Indo Com a Correnteza (Ás de Água)

Quando eu digo “transforme-se em água”, quero dizer  “transforme-se num fluxo” ― não fique estagnado. Mova-se, e mova-se como a água. Lao Tzu diz: A maneira de ser do Tao é igual à de um curso d’água.  Movimenta-se como a água.  E como é o movimento da água?  Ou um rio?  Esse movimento tem algumas coisas belas em si.  Uma delas é que a água se desloca sempre em direção à profundeza, sempre procura o terreno mais baixo.  A água não tem ambição, nunca briga por ser a primeira: ela quer ser a última. Lembre-se de que Jesus disse: “Os últimos serão os primeiros no meu reino de Deus”.  Ele estava falando sobre essa maneira de ser do rio, do Tao ― sem mencioná-la, mas falando a respeito dela.  Quanto a você, seja o último, seja sem ambição.  Ambição significa subir morro acima.  A água vai para baixo, procura o terreno mais baixo, quer ser uma não-entidade.  Não quer proclamar-se especial, excepcional, extraordinária.  A água não tem qualquer noção de ego. Osho Ta

Agradeço pela visita, volte sempre!

Agradeço pela visita, volte sempre!
Cartas do Destino