sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Osho Zen Tarot - 61. Arcano Menor ― Adiamento (Quatro de Nuvens)


Adiar é simplesmente estupidez. 
Amanhã também será necessário decidir; então, por que não resolver hoje mesmo? 
Você acha que amanhã estará mais sábio do que hoje? 
Você acha que amanhã vai estar com um vigor maior do que o de hoje? 
Você acha que amanhã estará mais jovem, renovado em relação à hoje?
Amanhã você vai estar mais velho, a sua coragem será menor; amanhã você vai estar mais experiente, e a sua capacidade de dissimulação será maior; amanhã a morte chegará mais próximo ― você começará a titubear e a sentir mais medo. 
Nunca deixe para amanhã. 
Quem sabe? 
O amanhã pode chegar ou pode não chegar. 
Se é preciso decidir, decida agora mesmo.
O dentista Dr. Vogel tinha concluído o exame de uma bela e jovem cliente.
“Srta. Baseman”, ele disse, “acho que terei de arrancar os seus dentes do siso!”, “Minha nossa!”, exclamou a mocinha, “seria preferível parir um bebê!”, “Bem”, disse o Dr. Vogel, “quer decidir logo para que eu possa acertar a posição da cadeira?”
Decida! 
Não continue adiando indefinidamente.
Osho Dang Dang Doko Dang, Cap. 8

Comentário:
A mulher desta carta está vivendo em uma paisagem cinzenta, povoada de nuvens irreais, nitidamente recortadas contra o céu. 
Através da moldura de janela ela pode ver cores, luz e vida; e, embora quisesse escapar por ali ― o que se percebe pelas cores do arco-íris em sua roupa ― ela não é capaz de
fazer isso. 
Há ainda em sua mente muita elucubração do tipo “mas, e se...?”.
Dizem que o amanhã nunca chega, e não importa a frequência com que isso é repetido, parece que a maioria de nós tende a esquecer a verdade contida nessa frase. 
De fato, a única consequência certa de adiar as coisas é o tédio e a depressão nos dias de hoje, um sentimento de incompletude e de limitação.
O alívio e o desenvolvimento que você sentirá quando puser de lado todos os pensamentos de indecisão que o estão impedindo de agir agora, farão com que você se pergunte por que esperou tanto tempo.




Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra, exceto os naipes.
Imagens - askthecards.info

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Osho Zen Tarot - 60. Arcano Menor ― Isolamento Glacial (Três de Nuvens)


Somos infelizes porque ficamos excessivamente encerrados em nós mesmos. 
O que quero dizer quando falo que nós ficamos excessivamente encerrados em nós mesmos? 
E o que acontece exatamente, quando ficamos excessivamente encerrados em nós mesmos? 
Ou você vive a vida, ou fica encerrado em si mesmo ― as duas coisas ao mesmo tempo, são impossíveis. 
Estar em si mesmo significa estar à parte, estar separado. 
Estar em si mesmo significa tornar-se uma ilha. 
Estar em si mesmo significa traçar uma linha divisória à sua volta.
Significa estabelecer uma distinção entre “isto eu sou” e “isto eu não sou”. 
Essa definição, essa fronteira entre “eu” e “eu não” circunscreve o território do “si mesmo” (self) ― o si mesmo isola. 
E ele o torna congelado: você deixa de fluir. 
Quando alguém está fluindo, o si mesmo não pode existir.
Com esse jeito de ser, as pessoas quase se transformaram em cubos de gelo.
Já não têm calor nenhum, não sentem nenhum amor ― têm medo do amor, porque amor é calor. 
Se o calor se aproximar, elas começarão a derreter, e as fronteiras irão desaparecer. 
As fronteiras desaparecem no amor; na alegria também, porque a alegria não é fria.
Osho Zen: The Path of Paradox, Volume 1, Cap. 5

Comentário:Em nossa sociedade, principalmente os homens têm sido ensinados a não chorar, a armar uma fachada de valentia quando são atingidos, e a não demonstrar que estão sofrendo. 
Mas as mulheres também podem cair nessa armadilha, e todos nós poderemos sentir vez por outra, que a única maneira de sobreviver é reprimir nossos sentimentos e emoções, de forma a que não nos possam ferir outra vez. 
Se a dor for especialmente profunda, poderemos até mesmo tentar escondê-la de nós mesmos. 
Isso poderá nos tornar gélidos, rígidos, porque lá no fundo sabemos que uma pequena fenda no gelo libertará a dor para que comece a circular outra vez dentro de nós.
As lágrimas com as cores do arco-íris no rosto desta figura encerram o segredo de como se libertar desse “isolamento glacial”. 
As lágrimas, e apenas elas, têm o poder de derreter o gelo. 
Chorar é bom, e não há motivos para envergonhar-se de suas lágrimas. 
O choro nos ajuda a fazer passar a dor, permite-nos ter consideração por nós mesmos e, afinal, ajuda-nos na cura de nós mesmos.




Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra, exceto os naipes.
Imagens - askthecards.info

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Osho Zen Tarot - 59. Arcano Menor ― Esquizofrenia (Dois de Nuvens)


O homem é dividido. A esquizofrenia é uma condição normal do homem ― ao menos no momento atual. 
Pode não ter sido assim no mundo primitivo, porém séculos de condicionamento, civilização, cultura e religião transformaram o homem numa multidão ― dividida, separada, contraditória... 
Contudo, pelo fato de essa divisão ser contrária à sua natureza, lá no fundo, escondida em alguma parte, à unidade ainda sobrevive.
Porque a alma do homem é unitária, todos os condicionamentos, no máximo, só destroem a periferia do homem. 
O centro permanece intocado ― por isso é que o homem continua a viver. 
Mas sua vida tornou-se um inferno.
Todo o trabalho do Zen é voltado para o como desfazer-se dessa esquizofrenia, como desvencilhar-se dessa personalidade cindida, como descartar a mente dividida do homem, como tornar-se não-dividido, integrado, centrado, cristalizado.
Do jeito como você está, não se pode dizer que você é. Você não tem um ser ― é uma praça de mercado: muitas vozes. 
Quando você quer dizer “sim”, imediatamente o “não” se apresenta. 
Sequer você consegue articular um simples “sim” com inteireza...  
Dessa maneira a felicidade não é possível; a infelicidade é uma consequência natural de uma personalidade dividida.
Osho Dang Dang Doko Dang, Cap. 3

Comentário:
O personagem desta carta traz um novo significado à velha ideia de “estar entre a cruz e a espada”! Mas é precisamente nesse tipo de situação que ficamos quando nos deixamos aprisionar pelo aspecto hesitante e dualista da mente. 
“Devo deixar que meus braços se soltem e cair de cabeça para baixo, ou deixar que as minhas pernas se soltem, e cair de pé?  
Devo vir para cá ou ir para lá?  
Devo dizer sim ou não?” 
E seja qual for a decisão que tomemos, sempre estaremos nos questionando se não deveríamos ter decidido do modo contrário.
A única maneira de sair desse dilema é, infelizmente, soltar os dois extremos ao mesmo tempo. 
Desse impasse você não vai conseguir sair valendo-se de fórmulas, pesando os prós e os contras, ou tentando resolvê-lo de alguma outra forma com a sua mente. 
Melhor seguir o seu coração, se lhe for possível ter acesso a ele. 
Se não tiver, simplesmente salte ― o seu coração começará a bater tão depressa que não haverá engano a respeito de onde ele está!



Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra, exceto os naipes.
Imagens - askthecards.info

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Osho Zen Tarot - 58. Arcano Menor ― Indo Com a Correnteza (Ás de Água)



Quando eu digo “transforme-se em água”, quero dizer “transforme-se num fluxo” ― não fique estagnado.
Mova-se, e mova-se como a água.
Lao Tzu diz: A maneira de ser do Tao é igual à de um curso d’água. 
Movimenta-se como a água. 
E como é o movimento da água? 
Ou um rio? 
Esse movimento tem algumas coisas belas em si. 
Uma delas é que a água se desloca sempre em direção à profundeza, sempre procura o terreno mais baixo. 
A água não tem ambição, nunca briga por ser a primeira: ela quer ser a última.
Lembre-se de que Jesus disse: “Os últimos serão os primeiros no meu reino de Deus”. 
Ele estava falando sobre essa maneira de ser do rio, do Tao ― sem mencioná-la, mas falando a respeito dela. 
Quanto a você, seja o último, seja sem ambição. 
Ambição significa subir morro acima. 
A água vai para baixo, procura o terreno mais baixo, quer ser uma não-entidade. 
Não quer proclamar-se especial, excepcional, extraordinária. 
A água não tem qualquer noção de ego.
Osho Take it Easy, Volume 1, Cap. 14

Comentário:
A figura desta carta está completamente relaxada e à vontade na água, deixando a correnteza levá-la aonde queira. 
É alguém que dominou a arte de ser passivo e receptivo, sem sentir-se enfadado ou sonolento. 
Apenas está disponível ao rio da vida, sem ter nunca um pensamento do tipo “Eu não gosto
disto aqui”, ou “Eu prefiro ir em outra direção”.
A cada momento na vida temos a opção de entrar na correnteza e boiar, ou de tentar nadar rio acima. 
Quando esta carta aparece em uma leitura, é uma indicação de que agora você está preparado para flutuar, confiante em que a vida o apoiará no seu relaxamento, e irá levá-lo exatamente aonde ela quer que você vá. 
Deixe que esse sentimento de confiança e relaxamento cresça cada vez mais; tudo está acontecendo exatamente como deveria.


Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra, exceto os naipes.
Imagens - askthecards.info
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Selos