Mostrando postagens com marcador Jul/1989.. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Jul/1989.. Mostrar todas as postagens

28 julho, 2017

TARÔ DE MARSELHA – Arcanos Menores - Ouros

Ouros - Moeda, roda, estrela, pentáculo (1. Estrela de cinco pontas, feita com um traçado contínuo, formando ao centro um pentá- gono regular, e à qual se atribuem virtudes mágicas e talismânicas. 2. Qualquer dos diversos símbolos do ocultismo semelhantes, por seu traçado contínuo, ao verdadeiro pentáculo.) . 
Matéria que condensa uma ação espiritual.
Vontade, inteligência, esforço. 
Relaciona-se a qualquer empreendimento ou campo de atividade onde interagem forças materiais. 
Corresponde socialmente ao poder econômico, à burguesia, às finanças, ao comércio e aos bens patrimoniais. 
Elemento Fogo. 
É um naipe de paciência e estudo que depende muito das cartas que o acompanham. Ouros pressagia dinheiro — São influenciadas pelo XX (O Julgamento).



Arcano Rei — Representa Homens
De Ouros: Homem rico e poderoso, no comércio ou na indústria. 
Sozinha: Incentivo a avareza e a intolerância. 
Com o XX (O Julgamento): Ajuda para atingir objetivos fixados.

Arcano Rainha — Representa Mulheres
De Ouros: Mulher rica, sensual, mas incompreendida. 
Sozinha: É levada por sua imaginação. 
Com o XX (O Julgamento): Encontro com o verdadeiro amor.

Arcano Cavaleiro — Representa Eventos
De Ouros: Pessoa realista e intrigante. 
Sozinha: Favorece ganhos, loterias, especulação e mercado de ações. 
Com o XX (O Julgamento): Sucesso depende de você.

Arcano Valete — Representa os Jovens
De Ouros: Mulher de cabelos negros, sincera, caridosa, mas desorganizada. 
Sozinha: Gastos exagerados. Débitos pendentes. 
Com o XX (O Julgamento): Sorte inesperada.

Arcano Dez De Ouros: 
Aumento da fortuna e propriedade. 
Sozinha: Uma ousada transação comercial é um sucesso. Compre terras e faça negócios. 
Com o XX (O Julgamento): Falha de plano causado por má sorte.

Arcano Nove De Ouros: 
Dinheiro. 
Sozinha: Benéfica para o consulente. 
Com o XX (O Julgamento): Trabalho altamente remunerado. Contrato vantajoso.

Arcano Oito De Ouros: 
Traição e desafio. 
Sozinha: Falsos compromissos. Riscos, especulações. 
Com o XX (O Julgamento): Aperfeiçoamento em todos os sentidos.

Arcano Sete De Ouros: 
Homem de negócios. 
Sozinha: Aumento de fortuna. 
Com o XX (O Julgamento): O consulente deve tomar iniciativa.

Arcano Seis De Ouros: 
Avarento. 
Sozinha: Cuidado com as especulações. 
Com o XX (O Julgamento): Aperfeiçoamento a caminho.

Arcano Cinco De Ouros: 
Amor de sangue ou adultério. 
Sozinha: O namorado (ou o Enamorado) é a causa da ruína. 
Com o XX (O Julgamento): Aperfeiçoamento em suas condições morais e físicas.

Arcano Quatro De Ouros: 
Mudança agradável. 
Sozinha: O amor entra em sua vida novamente. O dinheiro também. 
Com o XX (O Julgamento): Um presente será dado a você. Ambições preenchidas.

Arcano Três De Ouros: 
Sorte e promoção. 
Sozinha: Fim das dificuldades. 
Com o XX (O Julgamento): Esforços são recompensados.

Arcano Dois De Ouros: 
Mesquinhez. Promessas não cumpridas. 
Sozinha: Roubo ou possível desonestidade. 
Com o XX (O Julgamento): Ser incompreendido no amor e nos negócios.

Arcano Ás De Ouros: 
Como um talismã esta carta simboliza sucesso. 
Sozinha: Aumento de dinheiro. 
Com o XX (O Julgamento): Em geral tudo deve ir bem.





Lucia


Extraído de:
Tarô de Marselha – Revista Almanaque Planeta Tarô, 6ª Edição, Jul/1989.

Fonte primordial:
hospedado no 4shared.com por pehemaas-br.blogspot.com

07 julho, 2017

TARÔ DE MARSELHA – Arcanos Menores - Espadas

Espadas — Lança, machado. 
Arma cujo desenho de cruz lembra a cooperação dos contrários — masculino e feminino. Lutas, combates, angústias. 
Socialmente corresponde ao poder apoiado pela força, aos militares, aos guerreiros. 
Está relacionado a uma ação penetrante, como a do Verbo. 
Elemento Ar. 
É um naipe de brigas, coragem, dificuldades súbitas e mistérios. 
Espadas pressagia infelicidade e morte — São influenciadas pelo X (A Roda da Fortuna).



Arcano Rei — Representa Homens
De Espadas: Homem meticuloso que pesa suas decisões. 
Sozinha: Representa repressão (polícia, justiça, etc.). 
Com o X (A Roda da Fortuna): Algumas vezes um protetor, mas a maioria das vezes prejudicial, especialmente se o consulente for um homem.

Arcano Rainha — Representa Mulheres
De Espadas: Mulher autoritária, mórbida, obcecada pela opinião das outras pessoas.
Sozinha: Envenena a vida das pessoas que a cercam. 
Com o X (A Roda da Fortuna): As coisas irão melhorar se a consulente sair para uma viagem.

Arcano Cavaleiro — Representa Eventos
De Espadas: Pessoa empreendedora e útil. 
Sozinha: Indica ajuda, ganho ou inesperado suporte. 
Com o X (A Roda da Fortuna): Desapontamento.

Arcano Valete — Representa os Jovens
De Espadas: Pessoa ingrata e hipócrita (pode ser uma criança). 
Sozinha: Derrubar planos. Trás desapontamentos. 
Com o X (A Roda da Fortuna): Falso testemunho em tribunal. Policial desonesto. Chantagem.

Arcano Dez De Espadas: 
Preocupação e infortúnio. 
Sozinha: Viagem cara e inútil. 
Com o X (A Roda da Fortuna): Falha de plano causado por má sorte.

Arcano Nove De Espadas: 
Carta fatal. 
Sozinha: Indica sempre um atraso nos planos. 
Com o X (A Roda da Fortuna): Orgulho ferido. Doença ou morte de uma pessoa próxima a você.

Arcano Oito De Espadas: 
Incerteza e letargia. 
Sozinha: Cansaço. Saúde requer mais cuidado. 
Com o X (A Roda da Fortuna): Inevitáveis complicações.

Arcano Sete De Espadas: 
Coragem moral e psíquica. 
Sozinha: Reivindicações atendidas. 
Com o X (A Roda da Fortuna): Prosperidade vem facilmente.

Arcano Seis De Espadas: 
Preocupações e obstáculos. 
Sozinha: O consulente deve permanecer firme. 
Com o X (A Roda da Fortuna): Novos contatos serão benéficos.

Arcano Cinco De Espadas: 
Ciúmes e lágrimas. 
Sozinha: O consulente deve lutar contra as más influências. 
Com o X (A Roda da Fortuna): Qualquer mudança seria benéfica.

Arcano Quatro De Espadas: 
Solidão. Coração ferido. 
Sozinha: Ausência, morte, desapontamento. 
Com o X (A Roda da Fortuna): Amor instável. Saúde frágil.

Arcano Três De Espadas: 
Erros repetitivos. 
Sozinha: Amor e amizade colocados em perigo ou talvez mesmo destruídos. 
Com o X (A Roda da Fortuna): Nada pode alterar o destino.

Arcano Dois De Espadas: 
Contradições e hostilidade
Sozinha: Freqüentemente indica hostilidade ou doença súbita. 
Com o X (A Roda da Fortuna): Retaliação violenta.

Arcano Ás De Espadas: 
Virilidade. Autoconfiança. 
Sozinha: Vitória pela coragem e pelo mérito. 
Com o X (A Roda da Fortuna): Recuperação ou fim de uma provação.




Lucia


Extraído de:
Tarô de Marselha – Revista Almanaque Planeta Tarô, 6ª Edição, Jul/1989.

Fonte primordial:
hospedado no 4shared.com por pehemaas-br.blogspot.com

16 junho, 2017

TARÔ DE MARSELHA – Arcanos Menores - Copas

Copas — Coração, ânfora (1. Vaso grande de cerâmica, com duas asas simétricas e fundo pontiagudo, usado por gregos e romanos para armazenar azeite, vinho, água, etc.) . 
Receptividade feminina, ânfora de adivinhação. 
Sensibilidade. 
Relaciona-se ao amor, aos ideais e às criações artísticas. 
Socialmente corresponde ao poder adquirido pela cultura, aos intelectuais, artistas, cientistas e sacerdotes. 
Elemento Água. 
É um naipe de elevação e culminação do desejo, cuja presença no jogo é em geral feliz, já que está ligado às alegrias da vida. 
Copas pressagia felicidade — São influenciadas pelo XV (O Diabo) e pelo XXI (O Mundo).



Arcano Rei — Representa Homens
De Copas: Homem que é fundamentalmente bom, mas um tanto dominador em assuntos materiais. 
Sozinha: Facilmente levado pelos impulsos.
 Com o XV (O Diabo): Com mais sabedoria sua saúde melhora. 
Com XXI (O Mundo): Amor, ajuda e honra.

Arcano Rainha — Representa Mulheres
De Copas: Dona de casa, mãe afetuosa e esposa devotada. 
Sozinha: Dá coragem, e às vezes resignação. 
Com o XV (O Diabo): Se esconde dos excessos, devido a carta representar O Diabo. 
Com XXI (O Mundo): Ambições atingidas trazem-lhe conforto.

Arcano Cavaleiro — Representa Eventos
De Copas: Homem sentimental e sedutor. 
Sozinha: O amor é realçado, transformado e protegido. 
Com o XV (O Diabo): Agradável evolução de sentimentos e desejos.
 Com XXI (O Mundo): Felicidade total. Aprecie a vida.

Arcano Valete — Representa os Jovens
De Copas: Garota jovem, instável e passional. 
Sozinha: Perda do amado. Imprudência sentimental. 
Com o XV (O Diabo): Controle dos instintos básicos. Cheque os impulsos incontroláveis.
Com XXI (O Mundo): Mais segurança. Mais liberdade.

Arcano Dez De Copas: 
Amizade. Breve caso de amor. 
Sozinha: A família é protegida. As crianças (especialmente as meninas) são queridas. 
Com o XV (O Diabo): Sucesso nas artes. Nascimento de uma filha que será muito bonita.
Com XXI (O Mundo): A pessoa que você ama é inatingível.

Arcano Nove De Copas: 
Alegria. Para mulheres, fecundidade. 
Sozinha: Melhora na vida particular. 
Com o XV (O Diabo): Fim de um período de dúvida. Retorno do ser amado. 
Com XXI (O Mundo): Felicidade. Boa saúde (para as mulheres, desejo de ficar grávida).

Arcano Oito De Copas: 
Desapontamento sentimental. 
Sozinha: Compromisso quebrado. 
Com o XV (O Diabo): Triunfo da razão sobre hostilidade. 
Com XXI (O Mundo): Casamento ou associação conduziria a uma ascensão social.

Arcano Sete De Copas: 
Amor correspondido. 
Sozinha: Satisfação com assuntos do coração e dos sentidos. 
Com o XV (O Diabo): Aumento de energia. 
Com XXI (O Mundo): Triunfo sobre todos os obstáculos.

Arcano Seis De Copas: 
Fraqueza e pesar no coração. 
Sozinha: Esta carta freqüentemente prediz a morte, separação. 
Com o XV (O Diabo): Com o poder da vontade, sua saúde evolui e o amado retorna. 
Com XXI (O Mundo): Aconteça o que acontecer no futuro, restará o brilho.

Arcano Cinco De Copas: 
Separação e lágrimas. 
Sozinha: Você está cercada por pessoas ciumentas, Mexericos põem em perigo sua felicidade. 
Com o XV (O Diabo): Leve aperfeiçoamento. 
Com XXI (O Mundo): O coração está em paz. A sorte retorna.

Arcano Quatro De Copas: 
Desapontamento e neurastenia. 
Sozinha: Cuidado com os perigos físicos e desapontamentos sentimentais. 
Com o XV (O Diabo): Dá- lhe coragem. 
Com XXI (O Mundo): O consulente livra-se de suas obrigações.

Arcano Três De Copas: 
Corpo e mente em paz. 
Sozinha: Final feliz num acontecimento. 
Com o XV (O Diabo): Seus estudos trarão benefícios. Saúde melhor. 
Com XXI (O Mundo): Seus planos se materializarão.

Arcano Dois De Copas: 
Animosidade. Calúnia. 
Sozinha: Dependendo das circunstâncias esta carta também une as pessoas ou as separa. 
Com o XV (O Diabo): Amor recíproco com sentimentos de ansiedade. 
Com XXI (O Mundo): Fim de relacionamento dá um sentimento de liberdade.

Arcano Ás De Copas: 
Talento e comunicabilidade. 
Sozinha: Alegria íntima. Conversas úteis. 
Com o XV (O Diabo): Esperança vã. 
Com XXI (O Mundo): O consulente se afirma e atrai simpatias.




Lucia


Extraído de:
Tarô de Marselha – Revista Almanaque Planeta Tarô, 6ª Edição, Jul/1989.

Fonte primordial:
hospedado no 4shared.com por pehemaas-br.blogspot.com

26 maio, 2017

TARÔ DE MARSELHA – Arcanos Menores - Paus

Paus — Bastões, trevo, vara. Insígnia de comando, cetro da dominação viril, emblema do poder masculino. 
Força. 
Relaciona-se a negócios e empreendimentos. 
Socialmente corresponde ao governo civil, aos políticos, operários, empregados e camponeses. 
Elemento Terra. 
É um naipe enérgico, de crescimento e novos começos, podendo ser construtivo ou destrutivo, conforme a numeração. 
Paus anuncia novidades — São influenciados pelo V (O Sumo Sacerdote) e pelo XXI (O Mundo).



Arcano Rei — Representa Homens
De Paus: Liderança profissional, força interior. 
Sozinha: Haverá mudanças na própria vida e das pessoas próximas. 
Com o V (O Sumo Sacerdote): Mudança na área profissional. 
Com o XXI (O Mundo): Sucesso no amor e no trabalho.

Arcano Rainha — Representa Mulheres
De Paus: Mulher independente, caprichosa. 
Sozinha: Rival perigosa para outras mulheres. 
Com o V (O Sumo Sacerdote): Ganho de fortuna e entusiasmo. 
Com o XXI (O Mundo): Triunfo sobre todos os obstáculos.

Arcano Cavaleiro — Representa Eventos
De Paus: Pessoa amigável. Honesto e recíproco. 
Sozinha: Prediz um evento agradável. 
Com o V (O Sumo Sacerdote): Sucesso material conseguido através de uma viagem. 
Com o XXI (O Mundo): Benéfico para o trabalho, planos e caso de amor.

Arcano Valete — Representa os Jovens
De Paus: Ambição. Enamorado do trabalho, sempre reconhecido. 
Sozinha: Permite aspirar por um trabalho melhor. 
Com o V (O Sumo Sacerdote): Se o consulente é uma criança, ela terá a vida cheia de sucesso. 
Com o XXI (O Mundo): Associação benéfica e duradora.

Arcano Dez De Paus: 
Carta benéfica para os negócios. 
Sozinha: Consulente deve mudar sua tática se quer alcançar sucesso. 
Com o V (O Sumo Sacerdote): Resultados esperados realizados. 
Com o XXI (O Mundo): Saúde melhor. Prosperidade. Sorte.

Arcano Nove De Paus: 
Representa cuidado e reflexão. 
Sozinha: As circunstâncias forçam você a pensar. É uma boa coisa. 
Com o V (O Sumo Sacerdote): Espere antes de tomar uma decisão. 
Com o XXI (O Mundo): Mudar sua profissão pode ser muito arriscado.

Arcano Oito De Paus: 
Dúvida e preocupação. 
Sozinha: A roda está girando. O consulente abandona seu projeto. 
Com o V (O Sumo Sacerdote): Siga sua inspiração. 
Com o XXI (O Mundo): Você tem que aprender a dizer “não”.

Arcano Sete De Paus: 
Resultados de sucesso intelectual. 
Sozinha: Boas idéias. Surpreendente iniciativa. 
Com o V (O Sumo Sacerdote): Honra e glória conseguidos com uma viagem. 
Com o XXI (O Mundo): Segurança, conforto, dinheiro.

Arcano Seis De Paus: 
Hesitação e inferioridade. 
Sozinha: Mais prejuízos do que lucros. 
Com o V (O Sumo Sacerdote): Menos infelicidade. 
Com o XXI (O Mundo): Pessoa influente ajuda o consulente.

Arcano Cinco De Paus: 
Coração e mente generosos. 
Sozinha: Será o caminho certo se você preservar. 
Com o V (O Sumo Sacerdote): Sucesso merecido. Felicidade no amor. 
Com o XXI (O Mundo): Alegria de estar juntos.

Arcano Quatro De Paus: 
Mudança e bons contatos. 
Sozinha: Conduz a um casamento prático e transações de propriedade. 
Com o V (O Sumo Sacerdote): Bons avisos conduzem ao sucesso desejado. 
Com o XXI (O Mundo): Você logo terá alegria com as melhores coisas da vida.

Arcano Três De Paus: 
Idéias e conhecimentos. 
Sozinha: Os negócios estão em alta. A mente torna-se mais alerta. 
Com o V (O Sumo Sacerdote): O consulente pode se beneficiar dos erros de outras pessoas. 
Com o XXI (O Mundo): Vida significa viver.

Arcano Dois De Paus: 
Argumentos. Incompatibilidade. 
Sozinha: Saúde frágil. Isolamento. 
Com o V (O Sumo Sacerdote): Perspectiva melhor. 
Com o XXI (O Mundo): Harmonia restaurada no relacionamento.

Arcano Ás De Paus: 
Criação e dominação. 
Sozinha: Ambição e tirania. Consulente freqüentemente é um vencedor. 
Com o V (O Sumo Sacerdote): Situação financeira está em alta. Sucesso no amor. 
Com o XXI (O Mundo): Destino excepcional.




Lucia


Extraído de:
Tarô de Marselha – Revista Almanaque Planeta Tarô, 6ª Edição, Jul/1989.

Fonte primordial:
hospedado no 4shared.com por pehemaas-br.blogspot.com

05 maio, 2017

TARÔ DE MARSELHA – Arcanos Menores - SIMBOLOGIA

Retratando os aspectos e as manifestações exteriores da personalidade humana, os arcanos menores apresentam um ordenado conjunto de significações, formado pela simbologia dos números, das cores, dos naipes e das figuras, que possibilita uma série de exercícios interpretativos.

Enquanto os arcanos maiores retratam o que ocorre nas profundezas do Eu interior, os arcanos menores informam sobre a personalidade externa do consulente: caráter e temperamento, relações pessoais, circunstâncias específicas de algum fato ou situação, questões financeiras, etc. 
Ou seja, os arcanos menores, dos quais se originaram os baralhos comuns, apresentam elementos simbólicos apropriados ao território da profecia mundana. 
No entanto, há neles um conjunto de significações que oferece ao estudioso possibilidades dos mais variados exercícios, já que se caracteriza por uma riqueza ordenadora em relação a números, cores, naipes e até organização por classes sociais. 


A Simbologia dos Números 
Nos sistemas simbólicos, como o tarô, os números não são meramente quantidades: expressam também qualidades. 
Assim, cada número é caracterizado por uma espécie de ideia, força específica, segundo a ordenação primordial. 



Número um 
Símbolo da aparição do ser, da origem das coisas. Princípio ativo — masculino — que abre todas as sucessões e se fragmenta para gerar a multiplicidade, os outros números. Geometricamente, é o ponto onde nascem as linhas. Ponto irradiante e potência suprema — o centro. A unidade espiritual, a divindade, a luz. 
Interpretação divinatória: inteligência e início de ação. 

Número dois 
1 + 1 gera a soma de tudo o que existe e a repetição dos ciclos. 
O 2 é o reflexo do 1 como a natureza é o reflexo de Deus. 
Princípio feminino e passivo é representado por uma mulher. 
Geometricamente se expressa por dois pontos, duas linhas ou um ângulo. 
Dualismo do par de opostos que nasce do 1: vida/morte, bem/mal, etc. 
Contraposição e relatividade: a natureza em oposição ao criador, a lua em relação ao sol. 
Interpretação divinatória: passividade, dualidade, dificuldade.

Número três 
Síntese espiritual, resolução do conflito colocado pela dualidade. Resultante da ação harmônica do 1 sobre o 2. Número do céu e da Trindade. 
Não pode haver ação alguma sem três condições: o sujeito que age, o objeto que reflete a ação e o agir. 
Geometricamente corresponde aos três pontos e ao triângulo. 
Número da forma: não há corpo sem três dimensões: comprimento, largura e profundidade. O 3 é a fórmula dos mundos criados. Hemiciclo (1 Espaço semicircular, especialmente o munido de bancadas para receber espectadores.) : nascimento, zênite (1. Astr. Interseção da vertical superior do lugar com a esfera celeste. 2. Fig. Auge, apogeu, culminância.) , ocaso (1. Desaparecimento de um astro no horizonte, do lado oeste, proveniente do movimento diurno; pôr. 2. Ocidente, oeste, poente. 3. Fig. Termo, fim, final. 4. Fig. Queda, ruína, decadência, extinção, morte, crepúsculo.) . 2 + 1 representa o poder latente que recebe o germe masculino e a fecundação em ação. 
Interpretação divinatória: perfeição, fecundação, possibilidade de sucesso.

Número quatro  
Símbolo da organização racional, da terra, dos limites externos naturais, da totalidade. Número da harmonia e da unidade exercida sobre o ternário. Geometricamente é o quadrado e o cubo — o que é finito e a criação com fronteiras próprias. Realização das coisas tangíveis e concretas. 
A lógica quadrangular das leis do mundo. 
Interpretação divinatória: matéria, inércia, passividade, possibilidades, novo início.

Número cinco 
 4 + 1 é a ação do princípio unitário e espiritual sobre as forças materiais. 
Geometricamente é representado pelo pentagrama — estrela de cinco pontas que, com a cabeça virada para cima, simboliza o Adam Kadmon, homem primitivo antes da queda.
O homem, a saúde, o amor. Pensamento criador. Hierogamia (União de coisas divinas.).
Interpretação divinatória: dominação e necessidade de modificação do estado atual.

Número seis 
3 multiplicado por 2: atração polarizante e múltipla. 
Amor, relação, antagonismo. 
Força que se afasta do centro espalhando-se em todas as direções. 
Geometricamente é representado pela união de dois triângulos — o hexagrama. 
Associado ao princípio de analogia: “O que está embaixo é como o que está em cima.” Ambivalência, equilíbrio. Tensão, esforço — os seis dias da criação. Balança. Hermafrodita.
Interpretação divinatória: obstáculo interno ou externo, forte ou fraco.

Número sete 
3 + 4 é a união do princípio ternário com o quaternário, motivo pelo qual o sete possui excepcional valor. Geometricamente corresponde à conexão do quadrado e do triângulo, por superposição deste último: o princípio 3 dominando os 4 elementos. 
Aliança da ideia e da forma. 
As sete direções do espaço — as seis existentes mais o centro. 
Os sete dias da criação. As sete notas musicais. 
As sete cores do arco-íris. As sete virtudes e os sete vícios. 
Os sete dias da semana, etc. 
Enfim: ordem completa, período, ciclo. Cruz tridimensional. 
Interpretação divinatória: triunfo, compleição (1. Constituição física de alguém; constituição, organização. 2. Disposição de espírito; temperamento, inclinação.) e coordenação que conduz ao sucesso.

Número oito 
4 multiplicado por 2 implica dois pólos em oposição: a manifestação perfeita das formas. Simboliza a ordem universal das coisas em sua aplicação à ordem material. Tensão e equilíbrio. 
Geometricamente é representado pelo octógono, forma central entre o quadrado — ordem terrestre, e o círculo — ordem da eternidade, e por isso símbolo da regeneração. 
Nesse sentido era o número emblemático das águas batismais, na Idade Média. 
Por sua representação gráfica, evoca duas serpentes enlaçadas do caduceu — equivalência entre a potência espiritual e a potência material. Símbolo do infinito e dos ciclos eternamente renovados. Carma. Darma. 
Céu das estrelas fixas — superação dos influxos planetários. 
Interpretação divinatória: sucesso parcial e sofrimento.

Número nove 
3 multiplicado por 3 ou 3 + 3 + 3 — triplicidade do triplo — é a imagem completa dos três mundos. Número do conhecimento perfeito, é o limite da série antes de seu retorno à unidade. 
Geometricamente é o triângulo do ternário. 
Tem a característica de reproduzir-se a si mesmo quando multiplicado. 
Número dos ritos medicinais por representar a tripla síntese, isto é, a ordenação de cada plano — espiritual, intelectual e corporal. 
Interpretação divinatória: obrigação e sucesso que exige mudança de rumo para não estacionar.

Número dez 
Símbolo da realização espiritual. Ao mesmo tempo expressa a ambivalência — unidade atuando como número par. 
De acordo com os sistemas decimais é o retorno à unidade, o começo de uma nova série total. 
Geometricamente pode ser representado por uma circunferência com um ponto no centro. Número do ciclo perfeito e da totalidade do universo, da ordem interior e da totalidade psíquica. 
Interpretação divinatória: realização, fim de um ciclo ou caminho, ponderação, estudo, avaliação.


As Relações Simbólicas das Figuras 
Um dos setores mais abandonados pelos investigadores do tarô, a origem das figuras, permite apenas vagas hipóteses. 
Alguns as comparam com uma corte feudal, com seu senhor, sua senhora, o pajem favorito, o mestre de armas e o cavaleiro. 
Outros, com o jogo de xadrez onde, tal como os peões, submetidas ao rei e à rainha. 
Alberto Cousté dá a seguinte interpretação ao simbolismo geral das figuras: 

O Rei 
Representação do pai, do fundador dos povos e do poder gerador. 
No plano iniciático, é o que concluiu o caminho, o guru ou instrutor, e pode ser relacionado com o Ermitão. 
Tem analogia com o Sol e com Júpiter. 
O Rei é o grau mais elevado de evolução ou grandeza de uma espécie 

A Dama 
Num primeiro nível representa a Mãe, mas a importância deste papel varia de acordo com a relação que mantém com as outras três figuras. 
Ou seja: é filha do rei, esposa do cavaleiro e mãe do valete. 
Corresponde de qualquer forma ao simbolismo feminino e, num plano mais modesto, reúne a significação dos arcanos A Grã-Sacerdotisa, A Imperatriz, A Justiça, A Força e A Lua. 
No plano iniciático, representa as diversas etapas da via lunar. 

O Cavaleiro
O símbolo do cavaleiro está concretamente vinculado ao ritual das ordens de cavalaria medievais. 
Relaciona-se com os arcanos O Namorado e O Carro e, no plano iniciático, corresponde ao período dos trabalhos e dos esforços concretos para a realização. 
Psicologicamente, refere-se aos estados intermediários, entre o mundo material e espiritual, e transmutatórios, presentes na fase transformadora da Grande Obra Alquímica. 

O Valete
Seu simbolismo básico é o de filho, num sentido estático, e de mensageiro ou peregrino, num sentido dinâmico. 
Soluciona os conflitos colocados pelas outras três figuras. 
No plano iniciático, representa o grau primário e relaciona-se com O Mago, O Enforcado e O Louco.





Lucia


Extraído de:
Tarô de Marselha – Revista Almanaque Planeta Tarô, 6ª Edição, Jul/1989.

Fonte primordial:
hospedado no 4shared.com por pehemaas-br.blogspot.com

14 abril, 2017

Tarô de Marselha — O Louco (Inconsistência)

O Louco (Inconsistência)
O Arcano da Busca e do Amor.




Descrição da simbologia — Ponto último ou inicial do tarô, O Louco se distingue pela ausência de cifra, para significar que está à margem de qualquer ordem ou sistema. 
A alegoria mostra um homem de costas, mas com o rosto bem visível, caminhando com um bastão na mão e segurando no ombro um pau em cuja extremidade há uma sacola — símbolo de potencialidades. 
Seu traje de cores desencontradas indica as influências múltiplas e incoerentes a que se submeteu. 
Sua perna esquerda — inconsciente — é mordida por um cão, fato que poderia significar um resíduo de lucidez. 
A situação a que se expôs não significa ausência de espiritualidade nem impossibilidade de salvação — seu estranho gorro e o cinto são amarelos. 
O arcano é irracional, correspondendo ao instinto ativo e capaz de sublimação, mas também à cega impulsividade e à inconsciência. 
Simboliza a utilização do anormal e do inconsciente para inverter uma ordem maligna reinante. 
O Louco, segundo Frazer, possui o caráter das “vítimas de substituição” nos rituais de sacrifícios humanos. 
A imagem de um homem solitário que atravessa os campos, sendo agredido por um animal, é, segundo Alberto Cousté, uma das contribuições mais originais do tarô. Provavelmente é uma alusão aos Clerici vagante — estudantes medievais inquietos e migratórios, sempre em busca de novos mestres ou novas tabernas. 
Seu traje lembra o de um bufão, figura que fazia a caricatura da corte, de reis e senhores. Personagem singular. 
O Louco não se preocupa com os perigos do caminho porque se sabe invulnerável e imortal e, por isso mesmo, está exposto a todo o tipo de faltas.

Representação abstrata — Representa o microcosmo como resumo de tudo o que existe. A não-identificação com a personalidade terrena. 
Passividade, abandono absoluto, repouso, renúncia a toda resistência; irresponsabilidade, inocência, instintividade; capacidade mediúnica; abstenção, o não fazer. 
Promessas que não se cumprem; inaptidão para se dirigir, perda do livre-arbítrio, joguete de forças estranhas, instrumento dos outros, incapacidade para resistir às influências sofridas; recebimento de favores com má intenção, perigo de se isolar da sociedade, incapacidade para reconhecer os erros; sentimentos sem duração, abandono voluntário dos bens materiais; extravagâncias, incoerência, desorientação total em muitas coisas; escravidão aos desejos, inconsciência, insegurança; despreocupação em relação à palavra dada; indiscrição que pode levar à ruína.

Interpretações divinatórias — Carta de instabilidade, com efeitos decepcionantes. 
O homem, vergado sob o peso de obrigações e prazeres, cujas possibilidades não passam de ilusões. 

No plano mental: julgamento egoísta e sem calor. 

No plano anímico: sentimentos sem duração e risco de graves erros. 

No plano físico: caos, separação, abandono voluntário. 

No domínio dos sentimentos: deslealdade e adultério.


RESUMO

Significado abstrato: o homem progredindo em seu processo de evolução. 

Significado prático: atitudes impensadas, falta de ordem, compromissos não mantidos, insegurança. 

Em posição invertida: indica que o consulente teve seu progresso barrado. 

Moral: Irreflexão. Inconsistência. 

Físico: Forte influência hereditária. Apatia. Neurastenia (Mau humor com irritabilidade fácil.).


Com as Cartas: 

  • V (O Sumo Sacerdote): Voltar para a estrada certa. 
  • VII (O Carro): Antes da Carroça, ambas em posição normal: a) no plano material: importante notícia vinda de longe; b) no plano abstrato: ambas as cartas têm o mesmo objetivo — O Louco de forma descuidada, e A Carroça com plena consciência de sua força. 
  • IX (O Ermitão): Após O Ermitão, ambas em posição normal: um segredo descoberto será revelado publicamente. Em posição normal, após O Ermitão invertida: o segredo revelado não terá a divulgação esperada. Invertida, após O Ermitão em posição normal: calúnia e difamação, mas sem efeito. Antes do Ermitão, ambas em posição normal: acontecimentos passados são esquecidos. 
  • X (A Roda da Fortuna): Saúde melhor. 
  • XV (O Diabo): Casamento ou romance infeliz. 
  • XIX (O Sol): Antes do Sol, ambas normais: a) no plano material: acontecimento inesperado, algo que favorece e serve como apoio e conforto; b) no plano abstrato: o consulente progride no sentido do conhecimento e da consciência de tudo. 
  • XX (O Julgamento): Ajuda inesperada. 
  • XXI (O Mundo): Aperfeiçoamento de todos os lados.





Lucia


Extraído de:
Tarô de Marselha – Revista Almanaque Planeta Tarô, 6ª Edição, Jul/1989.

Fonte primordial:
hospedado no 4shared.com por pehemaas-br.blogspot.com

24 março, 2017

Tarô de Marselha — O Mundo (Poderes)

O Mundo (Poderes)
O Arcano da Alegria e da Celebração da Vida.



Descrição da simbologia — O arcano vinte e um, resumo de todos os arcanos, simboliza a síntese da criação. 
Corresponde ao mundo espacial, ao conjunto do que é manifestado como reflexo de uma atividade criadora permanente. 
É figurado por uma mandala — representação geométrica e concêntrica do universo interior e exterior —, cujo centro é o homem que chegou ao conhecimento de si mesmo. 
O personagem nu que se encontra dentro de uma grinalda, com uma vara na mão, possui rosto masculino e seios de mulher. 
O pequeno manto que cai de seus ombros justamente encobre o seu Sexo. A androginia deste personagem simboliza a dualização integrada, própria dos mitos de nascimento. 
Nos cantos da carta, quatro figuras de animais evocam a representação simbólica tradicional dos quatro evangelistas: anjo, águia, leão e touro, por sua vez, se relaciona aos quatro elementos: ar, água, fogo e terra. 
Estas quatro figuras também podem ser compreendidas à luz das quatro funções da consciência descritas por Jung — pensamento, sentimento, intuição e sensação —, que, integradas, representam o homem individuado. 
O Mundo é a Anima Mundi dos alquimistas, liberada das trevas da matéria. 
Após penetrar no seio de todas as influências cósmicas, o homem superou a dualidade e chegou ao estado de libertação.

Representação abstrata — Representa aquele que alcançou a sua meta. 
Finalização, recompensa, apoteose; sorte grande, êxito completo, coroamento da obra, finalização de um processo; circunstâncias muito favoráveis, integridade absoluta; contemplação, êxtase, promessa de longa vida. 
Deus e seu reino, amor à humanidade, poder da vontade.

Sentido negativo: falta de vontade, mundanidade; ambiente hostil — todos contra; dispersão, incapacidade de concentração; sentimentos egoístas; ausência de energia criadora, estancamento total, perda de impulso; obstáculos.

Interpretações divinatórias — É a melhor carta do tarô, indicando sempre uma realização importante, na medida do valor moral do consulente. 
Carta de realização, triunfo e glória, permite vencer e chegar ao resultado e ao objeto dos desejos. 
Mais ativa no plano espiritual, afasta as ilusões e mostra o caminho. 

No plano mental: conhecimento, invenção, possibilidade de um domínio. 

No plano anímico: inspiração, proteção e numerosas ajudas. 

No plano físico: permite um triunfo momentâneo; o desejo tem todas as possibilidades de ser satisfeito; afeição segura que vem ao encontro do consulente; sorte, esplendor.


RESUMO

Significado abstrato: a perfeição do homem. 

Significado prático: o individual. Perde grande parte de seu poder no plano físico, ao qual não se adapta muito bem. 

Representa o elemento feminino e não pode se ajustar ao masculino. É uma carta muito individual. 
Se o consulente for um homem, a carta representa seus pensamentos, e não sua individualidade. 
Se for uma mulher, representa sua personalidade. 

Do ponto de vista emocional, indica o triunfo ou a negação dos sentimentos, de acordo com as cartas que estejam ao seu redor.

Em posição invertida: negação de sentimento; sacrifício no amor. 

Combina bem com O Enforcado e com A Morte, no plano abstrato. 
E também com A Estrela, O Sol e a maioria das cartas, com exceção da Justiça e da Papisa, que não podem ser interpretadas no mesmo plano. 

Moral: Capacidade de tomar decisões. Uma mente prática. 

Físico: Uma longa e sossegada vida.


Com as Cartas

  • I (O Mago): Após O Mago, ambas na posição normal: essas cartas não podem ser interpretadas em conjunto, mas apenas em relação àquelas que estiverem ao seu redor. O mesmo se aplica ao Mundo antes do Mago, quando ambas estiverem em posição normal
  • V (O Sumo Sacerdote): Um protetor, um guia ou um parente aparecerá. 
  • X (A Roda da Fortuna): Ações prévias fortificadas. 
  • XII (O Enforcado): Após O Enforcado, ambas em posição normal: realização do triunfo por sacrifício voluntário. Em posição normal, após O Enforcado invertida: sacrifício que traz como recompensa um triunfo, determinado pela carta seguinte. Antes do Enforcado, ambas na posição normal: sacrifício, tristeza, sentimentos mal entendidos. Invertida, antes do Enforcado na posição normal: perda total de sentimento. A carta do Mundo não pode ficar invertida e se assim estiver, deve ser colocada na posição normal. 
  • XV (O Diabo): Egoísmo demasiado em suas decisões. 
  • XIX (O Sol): Após O Sol, ambas na posição normal: grande triunfo em todos os empreendimentos que se relacionam com os sentimentos. Antes do Sol, ambas em posição normal: sentimentos que proporcionam prazer, alegria e harmonia, todos oriundos da força do amor. Em posição normal, após O Sol invertida: os mesmos efeitos, porém um pouco retardados. Os sentimentos deverão se revelar e atingir toda a sua plenitude. Após O Sol, ambas invertidas: sentimentos nobres que deixaram de existir. 
  • O Louco: Extravagância temporária.





Lucia


Extraído de:
Tarô de Marselha – Revista Almanaque Planeta Tarô, 6ª Edição, Jul/1989.

Fonte primordial:
hospedado no 4shared.com por pehemaas-br.blogspot.com

03 março, 2017

Tarô de Marselha — O Julgamento (Mudança)

O Julgamento (Mudança)
O Arcano da Ressurreição.


Descrição da simbologia — O arcano vinte simboliza a revelação dos desígnios ocultos das forças divinas do homem. 
A imagem apresenta, na parte superior, um anjo tocando uma trombeta e, na parte inferior, três personagens, um dos quais de costas, em atitude de prece. 
O personagem central, de costas, levanta-se de uma espécie de túmulo verde (regeneração, ressurreição). 
Os três personagens simbolizam a trindade humana: homem, mulher, criança. 
Segundo vários autores esta carta apresenta a conhecida cena da ressurreição dos mortos e do Juízo Final, quando o anjo do Apocalipse ressonará sua trombeta. 
O anjo apresenta-se diante do signo solar, reforçando essa ideia: com a luz e o som da trombeta o anseio de ressurreição do homem será “despertado”. 
Nas representações medievais do Juízo Final, os mortos surgem dos seus túmulos completamente nus, embora não fosse costume da época enterrar os cadáveres dessa maneira. 
Segundo tradição popular, os mortos surgem dos túmulos como esqueletos que, ao contato da luz, se revestem da carne e da pele perdidas. 
Simbolicamente, a morte equivale à morte da alma, no sentido de esquecimento da finalidade transcendente do homem. 
A ressurreição simboliza a cura, a renovação, a regeneração.

Representação abstrata — Renascimento do “eu” na sua passagem para um plano mais elevado. 
Recuperação da consciência perdida, cura e libertação dos laços materiais, renovação da vida, iluminação de um caminho espiritual, sopro redentor; entusiasmo, exaltação; profetismo, medicina milagrosa, apostolado; atualização do passado, regeneração; surpresas, brilho; retorno à saúde física, moral e intelectual, elevação espiritual, volta às tradições esquecidas, nova permissão de vida; discernimento da verdade, novas relações, fim e começo, gozo. 

Sentido negativo: vacilação espiritual, ofuscamento da inteligência, alvoroço e agitação inúteis; embriaguez, super-excitação natural ou artificial, fanatismo cego, erros sobre si mesmo; provas resultantes de juízos errôneos, inversão nas emoções; inimigos ciumentos, culpa, perdas, saúde escassa.

Interpretações divinatórias — O julgamento humano está subordinado ao divino de maneira poderosa, direta e luminosa. 
Carta de rapidez e muita força, acentua os efeitos das cartas vizinhas. 
Geralmente benéfica, indica que o que foi feito no passado próximo pelo consulente será julgado, examinado, pesado e o beneficiará com novas possibilidades, se ele se mostrar merecedor. 

No plano mental: gênio inventivo e revelação de uma missão. 

No plano anímico: passagem de um plano para outro, revelação de desígnios ocultos — segredo que irromperá brutalmente. 

No plano físico: carta fulminante que precipita os efeitos das que lhe são próximas, falando de imediato, com rapidez e instantaneidade; trabalho de biblioteca, compilação, classificação; decisão legal favorável; no domínio sentimental, permite ver com justeza.


RESUMO
Em alguns baralhos também é chamado de O Juízo Final. 

Significado abstrato: o apelo humano a um estado superior: tendência a se elevar acima do plano físico. 

Significado prático: prestígio intelectual de boa influência. 

Em posição invertida: glória passageira. Quando a carta estiver invertida e houver outras igualmente invertidas, coloque-as na posição normal. 

Essa carta combina com A Carroça e muitas outras, mas não com O Diabo, O Mago e A Roda da Fortuna, que anulam seus efeitos. 

Moral: Amizades. Franqueza. Amor a beleza. 

Físico: Boa saúde.


Com as Cartas: 

  • V (O Sumo Sacerdote): Mais atenção. 
  • VII (O Carro): Antes da Carroça, ambas em posição normal: notoriedade pública inesperada. Invertida, antes da Carroça em posição normal: fama e sucesso obtidos à custa de esforço. Em posição normal, após A Carroça invertida: fracasso em obter fama. Em posição normal, antes da Carroça invertida: fama e glória seguidas de fracasso. 
  • IX (O Ermitão): Antes do Ermitão, ambas em posição normal: fama, glória e triunfo, porém ocultos; descobertas científicas e trabalhos executados no anonimato, que serão conhecidos mais tarde. Em posição normal, antes do Ermitão invertida: notícias inesperadas, de grande benefício e importância, interrompem a pesquisa e revelam o segredo procurado. 
  • X (A Roda da Fortuna): Uma viagem acalmaria tudo. 
  • XV (O Diabo): Crianças são uma fonte de preocupações. Aceitar é a única solução.
  • XXI (O Mundo): Amor e amizade estão em ascendência. 
  • O Louco: Falsas amizades. Desorganização.




Lucia


Extraído de:
Tarô de Marselha – Revista Almanaque Planeta Tarô, 6ª Edição, Jul/1989.

Fonte primordial:
hospedado no 4shared.com por pehemaas-br.blogspot.com